quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

SER SENSÍVEL AO BELO



A seguir ao Natal vem o anONovo…continue nas BOAs FESTAs
José António Varatojo

É vulgar ouvirem-se pensamentos como «não percebo nada de arte, isto não me diz nada», «mas gostei das cores», «é uma porcaria» ou então «não percebo nada de música mas penso que…», da boca dos cidadãos mais respeitáveis.
Imagine-se só o que seria um mundo onde todos percebessem exaustivamente de arte! Ou se todos fossemos especialistas em música! Será que a Humanidade inteira seria suficiente para produzir a nossa sobrevivência se todos virassem especialistas de tudo? Onde se aprende a gostar dum rosto belo, a ver no belo algo de sinistro ou fascinante?
Pode-se ser sensível à estética, à beleza artística, à harmonia dos sons, das imagens e das cores de uns e outras pela experiência da vida, na fruição continuada e mesmo na literatura alusiva ou através da pedagogia das próprias obras e dos autores. Ser-se sensível à arte, ser um bom ouvinte, é coisa ao alcance da grande maioria dos seres humanos, mesmo dos cépticos aparentes que citámos.
O meu amigo Varatojo é um desses artistas pedagogos. O seu trabalho intelectual tem a capacidade nata de auto-reprodução do gosto, que muito aprecio, sem no entanto ter a vida e a projecção de Paula Rego, cuja Obra também me impressionou e cativou igualmente, desde sempre. Um Bom Ano de 2010 para ti e todos os meus amigos artistas.
Henrique Pinto
Dezembro 09
FOTO: desenho de J. A. Varatojo

APESAR DO QUE SE ANUNCIA


Apesar de todas as crises que se anunciam, desejos sinceros de um excelente 2010, com sucessos pessoais e profissionais, são os votos amigos do
João Pedro Simões Dias
Professor de Direito Comunitário e Direito Internacional Público.

OS PRODUTORES ARTÍSTICOS


António Rebordão
Apartado 2088 1102-001 Lisboa
ginasioopera@gmail.com
http://www.ginasioopera.com/

O VOTO DOS EDITORES


Maria Isabel C. Garcia e José Alberto Garcia agradecem toda a colaboração e desejam
BOAS FESTAS e FELIZ 2010
http://www.minervacoimbra.blogspot.com/

VOTOS PELO DESENVOLVIMENTO


ESPERANÇA



Um Santo e Feliz Natal e um Ano Novo com muita Sa´de, Paz e Amor, é o desejo sincero do amigo ao dispor,
Joaquim Esperança
(GE D 1960)

domingo, 27 de dezembro de 2009

MÚSICA PELO NATAL


Grata a felicidade de bem cedo ter tido a oportunidade de ser seduzido pela música. Os Cursos Internacionais de Música da Costa do Estoril, o cinema (Beatles, Cliff Richard e os Shadows – deram agora um concerto de novo juntos, em Birmingham - e Elvis Presley, sobretudo), além do Festival Internacional de Jazz de Cascais, agora felizmente retomado.
Recebi agora no Natal, com muito carinho, do membro mais jovem na família, o Fábio, uma colectânea de Charlie Parker. Eu ouvi-o em Cascais, entre muitos outros, na fabulosa Mostra do saudoso Luis Vilas Boas. Lembro-me bem de Miles Davis, Oscar Peterson, Duke Ellington, Carlos Santana, Gato Barbieri, Dizzie Gilespie, Ornete Coleman e John Coltrane, por exemplo. Vale por uma vida!
Grata felicidade esta, para um médico, a de ter como um dos hobbies dirigir a maior escola de música da Europa. Tal como o Bath International Music Festival ou Glyndenhorn ficam longe de tudo – e no entanto são centros primeiros de fruir música na velha Albion -, Leiria, não sendo metrópole, adquire pela circunstância de ser uma centralidade no ensino musical, o ensejo de apresentar a melhor música em cada dia.
Grata a felicidade de ter ouvido a Oratória de Natal na Gulbenkian, seis Sonatas de Bach pelo Coro, Orquestra e solistas, dirigida por Michel Corboz.
De Lisboa veio a Leiria a instâncias da instituição mecenas, a CGD, a Orquestra Metropolitana de Lisboa, regida por Cesário Costa, com um programa lindíssimo de aberturas de óperas pouco ouvidas.
Mas Jean-Sebastien Béreau dirigiu soberanamente a Orquestra Sinfónica de Leiria, emanação da EMOL, com Gluck, Mozart e Schubert. A EMOL, Escola de Música, apresentou ainda o Coro de Câmara de Leiria, direcção de Pedro Miguel com Roberto Maddalena ao piano, o Ensemble Concertante de Guitarras regido por José Mesquita Lopes, a Orquestra de Flautas, com João Pedro Fonseca na direcção, o Trio de Guitarras de Leiria com Ilda Coelho e a Orquestra de Sopros de Leiria e os Coros de Mário Nascimento, Reinaldo Conceição, Rita Pereira e Sofia Rocha, com o maestro Luís Casalinho.
Tive ainda a grata oportunidade de ouvir boa parte do Ciclo Guitarra no Outono, outra realização da EMOL, proporcionando neste mês as três últimas performances. Primeiro, A Música Portuguesa para Guitarra no Século XX (música de Virgílio Melo, C. Bochmann e José Mesquita Lopes, Carlos Seixas, J. S. Bach, e John Lennon e Paul McCartney); depois, foi A Música Espanhola (a que já me referi neste blogue, iniciada com 4 Miniaturas de autor anónimo e quatro Canções Bascas tradicionais (Trio de Guitarras de Leiria), e terminada igualmente em alta com o show de Sónia Leitão. Sónia tocou, primeiro a solo (Fernando Sôr, Francisco Tárrega e Joaquin Rodrigo), depois com a EDOL, Escola de Dança do Orfeão de Leiria, sobre coreografia de Catarina Moreira e a música de A. Ruiz-Pipó. É, seguramente, uma oportunidade da vida…
Henrique Pinto
Dezembro 09
FOTO: Capa da colectânea BD Jazz, Charlie Parker, Éditions Nocturne

LOS CIELOS MÁS AZULES

Mis deseos para ti en esta Navidad…
Te deseo los cielos más azules y un corazón en paz.
Una vida larga y feliz…
Confianza en la voz que te habla desde tu interior.
Coraje para perseguir tus sueños…
Comprensión para las épocas
En las que pierdes el rumbo…
Te deseo… la posibilidad de llegar a
Ser todo lo que deseas…
Un trabajo satisfactorio…
Toda la riqueza material y espiritual que necesites…
Ilusión para compartir…
El permiso para perdonarte a ti mismo
Si alguna vez no alcances a cumplir
Con tus objetivos…
Que tu éxito más destacado en la vida
Llegue en el momento más significativo para ti.
Te deseo…
Un lugar en el que puedas vivir
En harmonía con la naturaleza,
Con el resto del mundo.
Mágicas noches…
Diversión y entusiasmo cada día de tu vida…
Serenidad…
Personas para quienes seas muy importante,
y que también sean importantes para ti…
Deseos pedidos a estrellas fugaces
Que terminen por hacerse realidad…
Te deseo…
Un llegar pleno de vida y anos.
Recuerdos de momentos y lugares
Que permanezcan siempre
muy cerca de tu corazón…
Consciencia de lo excepcional que eres…
Y que algún día todos estos deseos especiales
Se desplieguen ante ti.
Te deseo con mucho cariño
Feliz Navidad y Prospero Año 2010.

María Jesús
Diciembre 09

Por encima de la más bella música de Navidad, «Merry Christmas and a happy New Year», de John Lennon

FOTO: tarjeta de Season's Greetings de UNICEF

OS VOTOS NATALÍCIOS DO CLÉCIO MARQUES BRANDÃO


Os nossos desejos Natalinos para Henrique e Graça
Nestes dias, todo mundo desejará a vocês:
Paz, Saúde, Prosperidade e Amor.
Nós desejamos a vocês:
Saúde abundante,
Amizades incríveis,
Prazeres inesquecíveis,
Trabalho ameno e
que te paguem o triplo.
Prezado Companheiro
Que ganhem na loteria,
Que dancem e cantem,
Que mudem para uma linda casa,
Que comprem uma Mercedes,
Que tenham grandes satisfações…!
Mas, sobretudo, desejamos…
Que continuem sendo as pessoas fantásticas que tem sido, para todos os momentos…
Porque ter amigos como vocês
é um privilégio que nos foi concedido por Deus!
Feliz Natal,
Feliz Ano Novo

Clécio e Walquíria
Clécio Marques Brandão
(Brasil)

NATAL DE SANTO TIRSO


Prezado Companheiro PGD Henrique Pinto e Maria da Graça
Aceitem os nossos desejos de um Santo Natal e um Ano Novo repleto de Saúde, Sucesso e Felicidade.
Com um abraço amigo.
Isabel e Lereno Machado

THE DEVLYNS


I and Grace were in San Antonio Convention in Texas, USA. I won’t forget we could visit Fort Alamo, one of my children western memories. We had a pleasant lunch with the couple Manuel João and Ruth Madureira Pires in the house, close to the river, where the president of Mexico, General Antonio López de Santa Anna slept from February 23 to March 6, 1836, the duration of the whole struggle.
All but two of the Republic of Texas defenders were killed in Alamo, after a twenty day siege. This was the pivotal point in Texas revolution. Santa Anna's perceived cruelty during the battle inspired many Texans - both Texas settlers and adventurers from the whole United States - to join the Texan Army. Buoyed by a desire for revenge, the Texans defeated the Mexican Army at the Battle of San Jacinto, several weeks later, ending the revolution. Kids would never forget coronel Travis/John Wayne, our real youth hero.
But we won’t forget also we attended in San Antonio one of the best Conventions in this decade (together with Birmingham, in England). We’ve known some important persons like Frank Devlyn and Gloria Rita, «Sonny» Brown – he was a fabulous comedian as a charming Chairman -, Tony Serrano and Marie and Carol Bellamy, UNICEF Chairwoman at the time.
I could translate into Portuguese Devlyn’s book «Frank Talk» first edition, which I presented and offered to attendants in my International Conference at Coimbra University, in 2003, and then to Fundação Rotaria Portuguesa, as a merchandizing Solidarity Fund product.
At Barcelona Convention the Devlyns invited me to their lunch table, with Brian Giller and his lovely wife (South Africa). They usually introduce me to everybody. I worked in Avoidable Blindness Booth for several times. We met all around the world and we are good friends. They are the best example of what I appreciate too much, very outstanding people living in warmest harmony with everybody, making the best for Mankind.
Henrique Pinto
December 09
PHOTO: Season's Greetings Card from the Devlyns

O CORAL ESSA ACTUAVA E A LENA CANTAVA...


Caro Henrique Pinto,
Agradecemos e retribuímos os votos de Boas Festas, que tornamos extensivos a todos os seus.
Um abraço
Vitor Cordeiro

Natal... Na província neva.
Nos lares aconchegados,
Um sentimento conserva
Os sentimentos passados.

Coração oposto ao mundo,
Como a família é verdade!
Meu pensamento é profundo,
Estou só e sonho saudade.

E como é branca de graça
A paisagem que não sei,
Vista de trás da vidraça
Do lar que nunca terei!

(de Fernando Pessoa)

FOTO  de Vítor Cordeiro – enquanto o Coral ESSA actuava e a Lena cantava, os azulejos do tecto foram fotografados…), Vitor e Lena

SENTIDO ECUMÉNICO


Merry Christmas; Feliz Navidad; Joyeux Noël; Καλά Χριστούγεννα; Buon Natale; Crăciun Fericit; Feliz Natal;

Весела Коледа; Сретан Божић; Sretan Božić; God Jul; Vrolijk kerstfeest; Frohe Weihnachten
Rotary Club de Leiria
(José Luís Brandão
(Presidente)

Já estou entre os Governadores de Rotary mais antigos como membros deste movimento apolítico e não religioso pela paz e compreensão entre os homens. Minha filha nasceu quando eu já trabalhava há muito por esta causa. Há hobbies sociais em que persisto trabalhando ainda desde há mais tempo. Mas sempre disse, sair deste corpo social maravilhoso seria a última coisa a fazer na vida. Regressado de qualquer afazer, bem longe, o meu clube é sempre cais e berço, família. O jantar da estação a 15 de Dezembro foi um convívio por demais caloroso.
Nesta altura em que, contrariamente a algumas aparências enganadoras, as famílias e as pessoas em geral se encontram muito mais, e a quadra tem um intenso sentido ecuménico, a família Rotária portuguesa aproxima-se, saúda-se com franqueza (há textos lindos sobre o tema, em várias línguas, neste Blog), e, ao mesmo tempo distribui a solidariedade por milhares de famílias desafortunadas. Bem hajam todos os meus companheiros e famílias.
Henrique Pinto
Dezembro 09
FOTO: os nossos amigos da Coreia, Havai e Martiníca

AMIGOS DO PEITO



Em nome do meu clube desejo a todos os companheiros e familiares um Feliz Natal e um ´óptimo Ano de 2010
Fernando Marques
(Presidente)

OPTIMISMO E ESPERANÇA


Mais uma época natalícia que chega, mais um ano prestes a findar.
Com alegrias e tristezas, mas sempre com uma lição a reter de cada dia.
Esta época, são redobradas as esperanças, de que tudo será diferente daqui para a frente.
A todos, desejo um Santo e Feliz Natal, com o desejo que o ano de 2010, seja repleto de realizações e muita prosperidade.
A todos um bem hajam.
Rui Pais
Dezembro 09

sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

LIVROS DESTE NATAL



Çonçalo Cadilhe é filho dum companheiro Rotário. Excelente escritor, viajante de vocação, não acomodado, inventivo, é conhecedor de mundos diversos e sobretudo de paisagens humanas assimétricas. Revejo-me um pouco na sua paixão. Este seu livro, autografado, é um presente saboroso deste Natal. Recomendo-o vivamente.
Henrique Pinto
Dezembro 09

GRUPO LENA E INVESTIGAÇÃO UNIVERSITÁRIA


O Grupo Lena é uma das maiores holdings empresariais portuguesas, sedeada em Leiria, com uma internacionalidade ganha a pulso e inteligência.
Ouvem-se agora muitos anúncios de ligação empresa – universidade. Nesse ínterim o grupo mantém o silêncio. E no entanto, para gáudio dos amigos dos proprietários, pai e filhos Barroca Rodrigues, esta holding tem um apoio à investigação em mais de trinta universidades. E é um dos mais genuínos mecenas da educação, cultura e desporto.
Neste Natal fui ardina convidado para vender um dos seus muitos produtos jornalísticos, cuja receita reverteu este ano para a Associação de Apoio às vítimas da Violência Doméstica. Fi-lo como um preito, um dever, uma obrigação.
Henrique Pinto
Dezembro 09

CATARINA MOREIRA E A MÚSICA ESPANHOLA


Quando manifesto o meu regozijo de presidir a um dos maiores estabelecimentos de ensino artístico na Europa incluo a Escola de Dança, um nicho de excelência neste acervo maravilhoso. A vossa coreografia, criação da minha querida Catarina Moreira, incluída no espectáculo Música Espanhola, vi-o no sábado passado, é mais uma prova inequívoca dessa genuína qualidade que a todos nos ufana.
Henrique Pinto
Dezembro 09

MÉDICO ESPECIALISTA DE ORQUESTRAS


Poucas pessoas da música terão tido como eu a responsabilidade e o empenho de formar tantas orquestras como eu. Quando às vezes falo disto tenho de explicar, olhe sou médico, professor do ensino superior, para que não se pense que sou profissional da música, especialista ou…milionário. A Orquestra Filarmonia das Beiras, profissional, parceria de privados, autarquias e governo, de grande qualidade, foi produto dum percurso pessoal tão longo e intenso, que deixou marcas e laços para a vida. Desejo-lhe pois sucessos sem fim e uma vida muito longa.
Henrique Pinto
Dezembro 09

LIVROS DESTE NATAL


Sábado, 1 de Novembro de 1755, dia de Todos – os – Santos. Em Lisboa, a quarta maior cidade da Europa e a opulenta metrópole do grande império português, o dia amanhecera luminoso e quente. Poucos minutos depois das nove e meia, um barulho horrível anunciou uma das catástrofes mais devastadoras que alguma vez assolaram uma cidade importante no mundo ocidental.
A duração de dez minutos do Grande Terramoto de Lisboa raramente foi igualada. A magnitude do maior dos três tremores foi de 8,5 – 9 na escala de Richter. Seguiram-se duas réplicas fortes bem como um enorme maremoto. A destruição ficou completa com um incêndio que lavrou durante uma semana, consumindo uma área superior à do Grande Incêndio de Londres. Perdeu-se a maior parte do imenso e valioso recheio existente nos palácios, igrejas e armazéns de Lisboa. Morreram entre quarenta a cinquenta mil pessoas em Lisboa.
Inspirando-se em fontes capitais, muitas das quais nunca antes utilizadas, Edward Paice pinta um retrato vivido de uma cidade e duma sociedade transformadas para sempre no espaço de escassos minutos. A Ira de Deus é uma descrição emocionante, feita por um escritor de excelência, de um desastre natural recordado um século mais tarde como «a catástrofe mais temível que a história regista».
Do editor
Edição Casa das Letras, 2009
FOTO: Capa do livro A Ira de Deus

LEITURAS DE ESTAÇÃO

O leitor médio, não pusilânime, interessado em conhecer os desígnios menos tangíveis e fascinantes da mente humana, sem a pulsão do psicanalista frustrado, antes seduzido pela imaginação colorante e múltipla de Pessoa ou a poesia de Herberto Hélder, tem nesta estação dois romances imperdíveis, de Dag Solstad e Philip Ross.
Os dois nicos da prosa cocegante de ambos que adianto são malvasia e almíscar do navegante da escrita, atento à condição humana e à carga mental e emocional inerente às grandes viagens da existência.
Ao abespinhar-se com uma aluna, cuja suposta formação intelectual vê como um desperdício, Rukla sabe que chegou o tempo da «queda», do caminho sem retorno, para quem já não encontra regresso numa sociedade que mudou depressa demais e na qual não se reconhece. Rukla é a personagem de Solstad em  Pudor e Dignidade. Sabe que desapareceu uma época, mas, triste fim dos desistentes, continua a ficar sentado a falar consigo mesmo.
«Thomas Mann não se teria interessado pela minha alma, ou pela escuridão da minha alma, e porque raio havia de se interessar? Mas imagino que teria obtido um certo prazer em descrever as minhas deambulações pela sala esta noite (…), onde, como já se viu, não faço outra coisa a não ser andar de um lado para o outro, atormentado pela minha condição de ser socialmente consciente que já não tem nada para dizer», pensou Elias Rukla. Pergunto eu, interessante, não é?
Poucos anos depois de eu ter nascido, as divisões da Coreia do Norte, armadas pelos comunistas russos e chineses, tinham atravessado o paralelo 38. Messner, o talhante kosher da Lyons Avenue, em Newark, era agora, num rompante, pessoa com preocupações obsessivas com a vida do filho, um rapaz pacato e obediente, edipiano. «Onde é que estiveste? Porque é que não estavas em casa? Como é que eu sei onde estás quando sais? És um rapaz com um futuro magnífico à tua frente – como é que eu sei que não andas por sítios onde corres o risco de morrer? Com estas personagens ambíguas, fabulosas, Philip Ross cria em Indignação um universo concentracionário, ódio rácico, preconceito religioso, social, diabolismo do coitamento numa América puritana, cristã fundamentalista, em véspera de rupturas sociais importantes.
Henrique Pinto
Dezembro 2006
FOTO: o romancista norueguês Dag Solstad, nascido em 1941, editado neste Natal

ARTURO ESTEBANEZ


Arturo, amigo, tu representas tambien todos los muchos amigos de Espana. Has sido también uno de los más grandes Advocacy Advisors para lalucha contra la Polio. Gracias por tu amistad.
Henrique Pinto
Diciembre 09

FOLHAS MORTAS


O David, gerente do pequeno hotel de estudantes da Gower Sreet, bateu-me à porta, esbaforido, eram quatro lanços de escada, «são dois portugueses que o querem ver».
O professor Sampaio Faria e o Dr. Pinho da Silva, sempre mais do que amigos, foram gurus e guias numa carreira de paixão, extenuante. À cirurgia achava-a limitada, à pediatria fugira-lhe o encanto.
Estavam de visita à London School of Hygiene and Tropical Medicine e ao nosso mestre comum, o professor Logan. «O Hugh Sunderson convidou-nos aos três para almoçarmos em casa dele», disseram-me. Ora se eu queria ir!
Era sábado. Findo o almoço, simplicíssimo, vestimos os nossos kispos, gorro na cabeça, e lá fomos caminhar umas horas pelas hortas comunitárias, canais e eclusas resquício do pré-industrialismo, pisando as folhas pútridas, da humidade e da chuva «british» persistente «de molha tolos». Ao regressarmos à londrina Euston Station, hoje tão mudada no entorno, íamos felicíssimos.
Também hoje senti esse prazer do pisar as folhas mortas, outonais, serôdias, não muito generalizado, na caminhada habitual. Pisar a folhagem das ruas e matas do Chorão, a chuva miudinha a escorrer do plástico. A velha azinheira do cruzamento dos Morais, frente à santinha «das almas», sofrera a fúria ventosa da madrugada, pendia exangue ameaçando a segurança dos transeuntes. Mas o coronel da protecção deve ter outras prioridades. Nem as tréguas natalícias o convencem que estas matas não são Nambuangongo, que a guerra colonial terminou há quase quarenta anos, mesmo que o stress pós traumático persista até ao finar dos dias. O terrorismo é agora institucional, abarca tanto o conspícuo «gauchiste» como os jovens turcos das feiras e mercados. A ele pedimos-lhe que cumpra o seu dever, a estes, uns e outros, rogarmos tolerância em nome da democracia, para reconstruir o país – a crise é mundial, não leram nem ouviram !? - é como injectar-lhes água sob a pele.
Henrique Pinto
Dezembro 2009
FOTO: o Professor Sampaio Faria, orador na Conferência internacional quepromovi na Universidade de Coimbra em Maio de 2003, enquanto governador de Rotary International

FROM TURKEY WITH LOVE


Dear Henrique,
Thank you so much for your most friendly mail.
I hope that you recovered fully now. Afet and I wish you perfect health.
Thank you very much for your sincere compliments and all the promotion that you have done for the Istanbul Institute. I hope that we can meet at another beautiful occasion in future.
Afet joins me in extending our warm regards to Maria Gracia and you.
Orsçelik Balkan
Your Friend
December 09
PHOTO: Örsçelik and me at a Turkisk party he organized at Hilton Plaza, Orange County, USA, 2005

TONY SERRANO IS THE WHOLE AFRICA


AMIGOS JÚLIO Y CARMEN SORJÚS


TO ALL OUR FRIENDS



In these days we have insert in the Blog only a few Season's Greeting cards which we think represent the full and large universe of our friends in any place, with no matter language or religion, with no matter which democratic political opinions. Some of them represent at the same time institutions, services and enterprises we have in our hearts. To all of them, represented or not, our season greetings and best wishes for the New Year.
Henrique and Maria 

NAVIDAD EN ARGENTINA

Que el espíritu de estas fiestas renueve nuestro compromiso con quienes más nos necesitan
y que al mismo lo demostremos con acciones, pequeñas o grandes, pero siempre.
Que tengamos todos muy felices dias de NAVIDAD y AÑO NUEVO son los sinceros deseos de
Lilia, Carlos Speroni y família

WHAT LIES AHEAD IN 2010


Friends,
Another year is almost at an end. Many of us will be celebrating the holidays and, in quieter moments, reflecting on the achievements and challenges of 2009 - and what lies ahead in 2010.
As Chair of Wasrag my own thoughts naturally focus on the progress we are making. When Wasrag was founded in 2007 our goal was to help achieve Millennium Development Goal #7: «By 2015 reduce by half the proportion of people without sustainable access to safe water and sanitation».
The most recent data (2008) from UNICEF and WHO* indicates:
The world is on track to meet the MDG drinking water target. The number of people without an improved drinking water source is now below one billion.
The world is not on track to meet the MDG sanitation target. Two and a half billion people - 38% of the world's population, remain without improved sanitation facilities, mostly in sub-Saharan Africa and Southern Asia.
The advances on the drinking water target are really encouraging, and Rotarians around the world have played a significant part in that achievement. On the sanitation front - we have a long way to go. Sanitation isn't glamorous or exciting. And yet, it is the key to enhancing the quality of life for so many of the world's poorest people. On behalf of the Board of Wasrag I would like to wish you all a happy, peaceful holiday season with your families and friends. Let's come back refreshed and invigorated in 2010 and renew our efforts to put a big dent in those statistics!
Ron Denham,
Chair and the Wasrag Board:
Himansu Basu; Ernesto Carlin; Jayantilal Chande; Carolyn Crowley Meub; Jim Goodrich; Edward Kairu; Kumar Kewalramani; Arvind Phukan; Peter Rostron; Virginia Ryan; Robert Shelley III; Rekha Shetty; Bob Wubbena and Hakim Zahar
December 09
PHOTO: UNICEF Season's Gretings Card

THE WORLD LITERACY DREAM TEAM

CATHY AND DOUG WISH YOU A BLESSED CHRISTMAS





WE WOULD LIKE TO SHARE THIS PRAYER WITH YOU

Our Christmas Prayer,

God grant you peace at Christmas

And fill your heart with cheer

God grant you health and happiness

Throughout the coming year.

God guide you with His wisdom

And keep you in His care

This is our special wish for you -

This is our Christmas prayer.
My dear friend Doug Kent is RI Literacy Area Coordinator in Africa Continent 2009-10


MERCY SHIPS AND THREE BLIND KIDS


Dear Henrique & Maria da Graça,
It seems hard to believe that the Christmas season is already upon us. For me personally the year has flown by. For many it has been a difficult year and we all look forward to a little peace and joy during the Christmas season as a relief from our daily struggles.
However there are many like Genevieve, whose 3 children are featured this month, who can not rest because of the desperate situation in which they find themselves. People like Genevieve caring for 3 blind kids in a country where the people with no disability struggle to survive. This Christmas we have the opportunity to bring a little peace and joy to someone in desperate need. What’s more; a generous friend of Mercy Ships has offered to double all the donations we receive in December up to the value of 330,000€.
What a bonus in a time of crisis! For the same money we can help twice as many people this Christmas so please give generously so that together we can bring a little Christmas cheer to someone who needs it even more than we do.
Happy Christmas!
Ricardo Menzies
Mercy Ships Spain National Coordinator
PS: To ensure your donation is doubled please get your gift to us by the 31st of December!
PHOTO: Genevieve's three blind sons

EL EQUIPO EUROPEU DE SUEÑO



Un abrazo com mis deseos de paz y felicidad
Maria Tereza Gonzallez
PGD 2200 en 2007-08
Professora Universidad de Valencia - España

quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

UMA BOA SAÍDA


A frase tão incisiva de Marguerite Yourcenar, «o tempo, esse grande escultor», continua sendo um apelo troante à tolerância, assumida como um desígnio. Mesmo se implorada sobreponhamo-nos sempre à que é fingida. Sobretudo se forçada, mesmo por gente de bem, aos apertos de mão de circunstância. Coisa a que a própria diplomacia já virou as costas há muito.
Houve tempo suficiente nas últimas semanas para a assumpção por parte dos altos responsáveis do país sobre particularidade de a nenhum ou ninguém interessar a intolerância e crispação pretéritas.
Acho que se votamos por sufrágio universal um presidente, e não tendo o regime o modelo francês ou norte-americano, nem tão pouco a composição parlamentar em duas câmaras, o Presidente da República poderá mesmo assim usar poderes como a recomendação à Assembleia – quando o tem feito é quase sempre em conflitos estéreis - para que este órgão trate de alterar as mais que passadistas e insignificantes leis eleitorais que temos. A democracia representativa é o melhor dos sistemas políticos. Mas este parlamento representa quem?
A discussão dos temas gay não impede o governar bem e sem ferroadas constantes do vespeiro. O pensar a viabilidade económica também não é oponente do repensar o esqueleto das grandes leis do país. Na constituinte não havia maiorias de partido.
Na cerimónia de boas festas em Belém lobriguei essa saída. Não me quero enganar.
Henrique Pinto
Dezembro 09
FOTO: Cavaco e Sócrates em Belém

MAIS LEALDADE SOCIAL


Para todos os amigos e os colegas, umas festas de Natal e um bom ano de 2010:
com mais amizade;
com mais cultura;
com mais trabalho de equipa;
com mais justiça;
               com mais lealdade social;
                    mais empregos;
                         mais reciclagem;
                         mais tolerância;
mais alegria;
mais solidariedade;
mais bondade…;
…mais de tudo o que é bom para o futuro de todos.
Mercedes e Rui Stoffel
Dezembro 09

LA BELGIQUE DE MICHEL DUMONT


Merry Christmas
Happy New Year
Michel Dumont

UN CHEMIN VERS LA PAIX

Chers amis du Conseil Exécutif,
Chers amis coordinateurs,
Un petit point de situation.Notre réseau des comités inter-pays continue à se développer puisque après les USA, l’Afrique francophone, le Moyen Orient, l’Afrique anglophone, c’est maintenant le Brésil qui nous rejoint.
Après les conférences de Cannes « la paix est possible », celle de Bucarest et celle de Tunis, le rôle des Comités dans la culture de la paix s’est affirmé.
Nous venons d’avoir confirmation du Rotary International que nous aurons à la convention de Montréal, une session le mardi 22 juin de 15h45 à 17h15 sur le même thème qu’à la Convention de Birmingham « les CIP un chemin vers la paix ». Je vous invite d’ores et déjà à assurer la promotion de cette session après de vos amis et des participants à la convention de Montréal.
Mais avant cela, nous allons nous retrouver à Strasbourg pour notre réunion trisannuelle le 26 mars dans les locaux du Palais de l’Europe (avec 2 intervenants du Conseil de l’Europe) et le 27 mars dans les salons de l’Hôtel Hilton comme il y a 3 ans. L’ordre du jour définitif sera prêt début janvier. Nous aurons aussi à Strasbourg à élire la nouvelle équipe du Conseil Exécutif et je rappelle que les candidatures pour les 2 postes de vice président doivent m’être adressées avant le 31 décembre.
Je vous remercie de votre soutien et de votre participation à nos diverses manifestations qui ont été nombreuses ces 2 dernières années.
Continuons ainsi !
Je vous adresse à vous et à votre famille, tous mes souhaits de Noël et de Paix, avec mes meilleurs vœux pour 2010.
Serge Gouteyron
Président du Conseil Exécutif des comités interpays 2008-2010
PRIVP 2005-2006
PHOTO: La tour Eiffel en desin

A PIANISTA CARLA SEIXAS



Meu querido amigo
Sinceros desejos de um feliz natal e óptimo 2010 da muito amiga
Carla

ROSEMARY WENT TO YELLOWSTONE PARK IN SPRING



Dear Friends
Just a short note to catch you up on our lives.
Luis continues to take care of our Grandson two days per week. OK, I know people said being a grandparent was better than being a parent, but it is TOO true. Jose Luis turned two at the end of October. The last weeks have been amazing in terms of development: vocabulary, dancing, imagination, and singing— and, yes, some of those
Terrible two-ism behaviours (that are mostly funny). As you can see from the photo above, this year I taught him the Barker family secret of making/decorating Gingerbread houses (and eating a lot of sugar in the process). This started
With my Mom; then to me; passed on to Carlos and Luis; and now to Jose Luis.
I am still working professionally. Also continuing my commitment to Rotary. This is my second year heading up the Training Program for the Rotary Governors in the west of the US/Canada (25 in the following years: 2009-2010, 2010-2011, & 2011-2012). It is an honour to work with the Rotarians who volunteer their time and talent to train these individuals.
No international travel or international volunteer work in 2009. Perhaps in 2010. I continue to speak on the subject of generational diversity at numerous Rotary events. One such event took Luis and me to Jackson Hole, Wyoming in April --- and we took the opportunity to travel to Mt. Rushmore, Devil’s Tower & Yellowstone Park (complete with snow!).
UW Husky football team “coming back” from the depths. So this was a much better year.
The rest of the family is doing well. Carlos is working in Market Research. His wife, Jen, started Law school at Seattle U (in addition to her fulltime job). Luis Felipe is working hard on his Law practice in Seattle.
We had family here from Guatemala. Luis’ niece Lucy, her husband Hugo and kids came for a visit in the spring. Nice when family makes the long trip.
We are looking forward to a much better 2010—and wish the same to you and yours.
Rosemary & Luis Aragon
Rosemary Barker Aragon,

Zone 25 26 Education Program Chair 2008-2010
December 2009
PHOTO: Rosemary and her grandson Luís

quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

MY FRIEND MORIHIKO NARUKAWA


Dear Friends,
Warm Greetings to you and your families!
Here we are now at the end of 2009 and I want to take the opportunity to wish you all a very nice holiday season, as well as the report on our activities over the last year.
We were invited by the Emperor and Empress to the Akasaka Palace for a spring garden party on April 16th, 2009. It was a fine day!
I congratulated the Emperor on his 50th Wedding Anniversary. I told the Empress that I am an obstetrician in Wakayama prefecture. The Empress said, “That is an important job, however, the birth rate has been falling in Japan.” I said that it is hard work because there are fewer obstetricians in country side areas. She replied that there is much hardship associated with that field of work. She asked, “How many babies have you delivered?” I answered, “Over 5,000 babies.” She exclaimed, “That many babies! Thank you very much for your effort. Please continue your extraordinary work.”
I told the Crown Prince, “I met you when you visited Kushimoto town in Wakayama prefecture to attend the Japanese Conference for Promoting Blood Donations in 2005.”
I told Princess Kiko that I came from ARIDA in Wakayama. Actually, her grandfather was also from Arida! What a coincidence! She replied that she likes ARIDA and is presented with many local products from Arida residents. ARIDA mandarin oranges are very delicious!
I traveled to China from April 29th to May 5th. In China, I visited XI`AN, DUNHUANG and JINAN.
In Xi’an, I visited the museum of the Terra-Cotta Warriors and Horses of Qin Shi Huang, the Mausoleum of the first Qin Emperor, the Mausoleum of Qianling, and the Famen temple.
The Terracotta Army consist of the Terra-Cotta Warriors and Horses of Qin Shi Huang. Qin Shi Huang was the First Emperor (246-221 BC) of China. The Terracotta figures were discovered in 1974 by some local farmers near Xi'an, Shaanxi province near the Mausoleum of the second Ming Emperor. The figures vary in height (178–187cm/5.8ft–6.1ft) and weight (300Kg/660lb) according to their role, the tallest being the generals. The figures include more than 6000 warriors and lots of chariots, horses, officials, acrobats, strongmen, and musicians.
In the Qianling Mausoleum, Emperor Gaozong who was the third emperor of the Tang Dynasty and his second wife Empress Wu (later known as Wu Zetian) are buried together. Even in the long history of China, this is the only mausoleum which an emperor and empress were buried together. On the approach to the Qianling mausoleum, there were 124 stone figures from the Tang Dynasty.
I also visited the southern route check point “Yang Guan” of the Silk Road and The Mogao Grottoes in Dunhuang in Gansu province. The Mogao Grottoes, also known as the Caves of the Thousand Buddhas, form a system of 492 temples 25 km (15.5 miles) southeast of the center of Dunhuang. The caves contain some of the finest examples of Buddhist art including “The Jātaka Tales”.
The purpose of this trip was to meet my friend, Professor Zidong Liu who works in Jinan and observes the working conditions of Jinan Central hospital. He became the hospital director 4 years ago when he was 47 years old. His hospital has a capacity of 1082 beds with 1500 workers. It is a very big hospital. I met him 20 years ago when he was studying in Wakayama Medical University. Since his time in Japan, we have maintained relationship.
We hope to enjoy our lives to the fullest in 2010, and hope you all do the same. Warm regards to you all.
Morihiko Narukawa
December 09
PHOTO: Mori belongs to another dream team, «Peter Perfect Pioneers», Los Angeles 2005. Here he is with his lovely wife, in the Palace, invited by the Emperor of Japan to the 50th Emperor Aniversary festivities

A WORLD OF PEACE


A Card with Peace writen in many, many languages, the Seasons Greetings and good wishes for the New Year from President of Rotary International John Kenny and his wife June
December 09

HAPPY SEASON HOLIDAY, HAPPY NEW YEAR!


UNICEF Season's Greetings Card from me and my family to all our friends in the world
Henrique Pinto
December 09

SEE AND CHANGE YOUR FUTURE


My dream team in Evanston, they work everyday for a Poliofree world. The world will thank you even more and forever one of these days
December 09

É UM BRASIL INTEIRO


Cartão de Natal do Leonel e Vilma Nascimento.
Represento-o aqui como o meu preito às centenas de amigos - quem quiser pode julgar exagero, mas não é seguramente meu amigo e menos ainda me conhece - que temos nesse país maravilhoso, o Brasil
Dezembro 09

DAS MINHAS EQUIPAS DE SONHO


Cartão de Natal do Universo ISLA
Dezembro 09

FUNDAÇÃO MÁRIO SOARES


Cartão de Natal da Fundação Mário Soares
Dezembro 07

NO CORAÇÂO GUARDO OS AMIGOS


Cartão de Natal de Álvaro Gomes e Lúcia
Dezembro 09

DISTINÇÃO DUM JOVEM ESTUDANTE

Damos continuidade à publicação de um conjunto de entrevistas aos jovens estudantes distinguidos com os Prémios dos Fundadores (2008/2009) da Fundação Rotária Portuguesa. Chegou a vez de Emanuel Davide Garcia Ferreira, que actualmente frequenta o 1.º Ano de mestrado em Programação Cultural Artes e Intervenção Social.
Notícias (N.) – O que te motiva a seres um bom aluno?
Emanuel Davide Garcia Ferreira (E.F.) – Quando gostamos do que estamos a fazer os resultados surgem naturalmente e sem grande esforço.
N. – Ficáste surpreendido por teres sido escolhido para receber um prémio de âmbito escolar?
E.F. – Fiquei surpreendido porque não sou um aluno excelente, o meu trabalho já tinha sido reconhecido noutras áreas, mas nunca no âmbito académico. Penso que este prémio acaba também por valorizar o trabalho extra-curricular e a educação não formal que têm estado bem presentes ao longo da minha vida.
N. – Em que medida este prémio te vai ajudar?
E.F. – Este tipo de reconhecimento é sempre importante para os jovens, não só porque valoriza o currículo como é também um incentivo ao seu trabalho.
N. – Quais as principais dificuldades que tiveste?
E.F. – A maior dificuldade que encontrei foi aquela que penso que todos os estudantes do interior encontram quando vão para a faculdade. É o “pássaro que deixa o ninho e mal sabe voar” e cai numa cidade completamente diferente, rodeado de pessoas e hábitos desconhecidos.
N. – Quais são as tuas perspectivas para o futuro?
E.F. – Tenho as expectativas altas em relação a esta nova etapa académica, espero que me abra os horizontes e crie novos caminhos para começar uma carreira profissional sólida.
Em Boletim Nº 7 da Fundação Rotária Portuguesa
Dezembro 09
FOTO: Emanuel Davide Garcia Ferreira

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

NÃO TÊM DIREITO


Emocionei-me quando me falavam de Eusébio e Soares mundo fora. Adorei Veneza forrada pelo rosto angélico de Maria de Medeiros e as ruas de Tóquio ornadas por imagens de Figo nos outdoors. É lindo não é?! Gosto duma boa partida de futebol. Aprecio muito atletismo e natação, vela e esqui, hóquei patinado. No seu ambiente específico ou no LCD e na alta definição podem dar-me espectáculos de franco prazimento. Boa parte destes entretenimentos outrora baptizados de desporto são hoje indústrias de volumosos cabedais e de perdurável ressonância social, produzida por um mar imenso e inquieto de protagonistas.
Todavia, o hooliganismo empobrece este mundo da economia. Os atletas não se respeitam. Certo desempenho animalesco é mais das vezes congeminação estratégica dos orientadores. Os dirigentes exigem-lhe parangonas, o público vê-se atiçado pelas imprensas específicas – qual fungo sobre casco envelhecido - a reproduzir e forjar tais constructos do nada.
A política e o empresariado manhosos erguem estádios inúteis, alguns deles passíveis de implosão em nome da sanidade nas despesas públicas, da estética, da saúde mental de quem os tem por antolhos e da assumpção exemplar da hierarquia das necessidades nas urbes.
Qualquer cidadão tem direito ao consumo de bens materiais qualificados e à fruição intelectual e lúdica de produtos garantidos. Tem direito ao respeito dos seus eleitos e à indignação sobre quantos se acoitam na aba larga dos partidos, em qualquer lugar, a dirimirem argumentos que a mais não servem que ao achincalhar o Outro.
O hedonismo natural dos portugueses não tem qualquer ascendente sobre a privacidade ou a consciência do semelhante, ardina ou presidente da República. Aos seus deputados ninguém nem lei alguma outorgou o direito de exigir o que a outros, seja quem for, cavador da lavoura ou primeiro-ministro, têm a prosápia de negar. Aos seus governos tem o direito, sim, de fazer com que o ouçam se ousar dizer, a democracia não esmorece se o circo das vaidades parlamentares, dos minutos de glória de Wharol, for melhor gerido. Furtem-se a tal banalidade.
Fosse a iliteracia mais ténue no país, sentissem os senhores das empresas televisivas não deverem comprar «bens» conspurcados pela má educação e vandalismo, tivessem as pessoas a sensatez de não serem necessários Messias tiranetes para que se chamem a terreno os fautores da incompreensão política, sem ambiguidades no separar o tasco do linho nem tácticas com a mente em plebiscitos futuros. Mesmo sem roçar o verniz ao neoconservadorismo, imanente a certa soberania. Talvez tivéssemos mais razões para estar gratos a alguém ou regozijássemos, orgulhosos, com algo para lá do efémero.
Henrique Pinto
Dezembro 09
FOTOS: Nemo, Henrique Pinto, Jorge Gabriel, J. Magalhães e Sónia Araújo num estúdio televisivo

domingo, 20 de dezembro de 2009

OS MUROS QUE SE ESBOROAM PELO NATAL


É normal ver-se uma árvore de Natal em Telavive ou Haifa, em Israel, ou em Abu Dabi, nos Emiratos Árabes. O valor acrescido desta época, de raiz simbólica eminentemente cristã, é hoje património ecuménico de boa parte da Humanidade, mais pelo significado que sedimentou, transfigurando-se como época de tréguas, de consagrar da paz numa ânsia tão veemente como a da felicidade, da pertença substanciada na família, sem rigidez modelar, na tolerância sem cegueira, que pela relação milenar do cristianismo.
A minha querida amiga Alana Bergh diz-nos lá do gélido Alasca, assertiva, «ao celebrarmos este mês da família, muitos de nós participamos em celebrações religiosas como o Natal, o Manukah, o Kwanzaa ou o Ramadão, enquanto outros celebram o Solstício». Indiferentemente às celebrações diversas o traço de união está no envolver-se a família, mesmo se tal transporta o ónus da distância, da brecha no gelo, da indiferença, do troar das armas, da pobreza, do egoísmo e de tantos outros muros que, à força de querer, se esboroam.
Cada uma das pessoas conscientes dos novos e vetustos sinais deste inequívoco oásis da felicidade – indiferente ao comércio que a tudo se liga, naturalmente, não sendo em si um mal – pode esforçar-se por lhe acrescentar partículas de fermento, em novas ideias e actos exemplares, originais, com marca de futuro, susceptíveis de levedarem com os tempos - imunes ao desgaste dos preguiçosos mentais, aos trejeitos da mente tortuosa dos «jovens velhos», dos descrentes na harmonia. Bem e mal coexistem numa relação de forças mutável, passível de franco desequilíbrio. Desse fermento mais palmeiras se podem erguer no ar cálido. Queremos ver a água límpida brotar em cascata, tingida pela música de Bach, Mozart ou John Lennon, sangue arterial de esperançoso alento.
É com esta imagem idílica intelectualmente assumida, estereotipada, madura e reflexa no nosso córtex cerebral, que deixamos a todos, amigos ou nem tanto, os votos calorosos de Boas Festas e Feliz Ano Novo.
Henrique Pinto
Natal 09
FOTO: Cartão de Natal do UNICEF

TOLERÂNCIA É REMÉDIO CARO


Quando os deputados se insultam no Parlamento e os candidatos a qualquer lugar procuram liquidar a concorrência, apelidando os «compagnons de route» de doentes mentais, pessoas de personalidade desdobrada - a estocada mortal do matador em praça arenosa, a ver-se já recebedor de rabos e orelhas -, a atitude em pouco diverge da dos condutores de automóvel, a atropelarem cidadãos em cima da passadeira.
Se lhes convier são os primeiros a apelarem à tolerância - remédio caro para poder ser aplicado de forma indiferenciada em todas as maleitas -, quantas vezes confundida com cinismo venenoso, a coexistir como fungos sobre fundamentalismos mal digeridos. É o espírito manobrador de sucateiros e demais chico-espertos, por entre abúlicos, ou a contrario, docilidade de eunucos perante o emir, dono e senhor das suas consciências.
Foi Esculápio quem disse, «o medicamento pode ser um veneno, é uma questão de dose». As causas destes traços eminentemente lusos não estarão por inteiro contidas nos muros externos e internos nem pelo tempo histórico ou relações cósmicas. Mas distinguem significativamente os portugueses dos outros povos europeus.
A história recente da Gripe A deu-nos um elucidativo exemplo de terror ignaro. Bastou que os argumentos, anónimos ou falsamente apadrinhados, sórdidos e catastrofistas, a viajarem há muito na net e nos e mails a propósito de tudo e de nada – e aqui Miguel Sousa Tavares tem a sua apreensão mais do que justificada –, fizessem o seu curso. Aí estão dois ou três dignitários de casaca e chapéu alto a caírem no logro ou a servirem-se dele. A vacina passa a ser causa de todos os males. Lembrar a polémica e ensombrada demissão do ministro Correia de Campos. Depois dela, taumaturgo desiderato, não aconteceram mais partos nas ambulâncias.
Já citei vezes sem conta o drama sobrante da ignorância e absurda crendice de M’Becki, ex presidente da África do Sul. A sua fé nas atoardas que enchem milhares de páginas virtuais, caldeada por lendas e verdades distorcidas, calcinadas, levou-o a proibir a importação de medicamentos retrovirais. O seu país tem hoje, exactamente por essa fragilidade espiritual, perto de dez milhões de órfãos da SIDA.
Os Bastonários das Ordens dos Médicos espanhola e portuguesa e a ministra da saúde de Espanha tiveram igual postura inicial, relativamente à gripe A. Influenciaram negativamente muitas pessoas, incluindo profissionais. Todos os envolvidos terão legitimidade de produzir declarações públicas. No entanto, é bom saberem também que sabemos, qualquer cidadão sem o grau de entendimento científico destes oradores, poderá tristemente ganhar o direito de os processar em sede de justiça, caso lhe tenha caído em casa a fatalidade e isso coincida com o neles ter acreditado.
Ora, sabe-se, nenhum de tais expoentes da ciência médica e da política ibéricas tem conhecimentos suficientes de saúde pública ou de virologia para se poderem abalançar por si sós neste caminho. Tivessem ao menos o mútuo receio de Eça e Ramalho em calcorrear noite fora a estrada de Sintra, não fosse o outro estar seguro nas enormidades tenebrosas que escrevera no capítulo anterior!
Ainda hoje, mesmo avatares da medicina, não resistem a alterar por inteiro a medicação ou a interpretação do colega, mesmo se isso vem a debilitar vida fora a estrutura osteomuscular dum jovem na dependência de tantos outros eixos biomecânicos, ou a dum velho, obra feita de milhentos cruzamentos biológicos, pela incapacidade em irem mais além sem deixarem de alardear serviço. Inveja e autocontemplação narcísica, como a relativa ignorância do que é a estrutura física e mental de alguém que atravessou décadas em permanente transformação interior, iguala certos clínicos aos jovens turcos ou jovens velhos da praxis política. Os que não são assessores de governos à saída da faculdade, como dantes calhava a herdeiros de lentes ilustres, cedo aprendem, quanto mais tarde se calarem menos o opositor fala. Se mais velhos, basta-lhes citarem duas ou três taxas da crua realidade africana e dizerem da necessidade em «dar um murro na mesa». Desde logo dão lições a Roma e a Washington.
Tratos de polé sofridos por jovens e velhos à mercê dos sábios são os mesmos a vitimarem a saúde pública enquanto ciência e quantos a estudam e praticam, logo rotulados de idealistas ou lunáticos. Esta alergia tipifica mais um comportamento imanente a um escol de portugueses.
Lidar com a doença a um nível macro ou apostar na sua prevenção de escala implica utilizar bem conhecimentos clínicos, epidemiológicos, históricos e sociológicos, no respeito absoluto pelo método científico. Não tem os «aliciantes» financeiros da clínica privada ou do seu exercício dentro do sistema público, assaz frequente entre nós. Logo, só segue um tal leque de carreiras quem, como os investigadores, tem a capacidade de antecipar cientificamente conclusões sobre o longo prazo e lidar com elas como o seu bloco de receitas ou o bisturi. E ainda quem projectou a sua vida no não procurar ter mais do que aquilo de que necessita para viver bem.
Henrique Pinto
Dezembro 09
FOTO: Hipertrofia do Ego (foto José Amorim, Brasil)